Alunos de Enfermagem, Farmácia e Fisioterapia vão atuar no combate ao COVID-19

06 / abril

O Ministério da Educação (MEC) baixou portaria em que autoriza alunos regularmente matriculados nos dois últimos anos do curso de medicina, e do último ano dos cursos de enfermagem, farmácia e fisioterapia do sistema federal de ensino a atuarem no combate ao COVID-19.

A medida foi discutida durante o mês de março, pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT) com o ministro Abraham Weintraub, e integra os esforços para atuação das universidades federais, através dos hospitais universitários, no combate à pandemia.

A palavra do senador

“Tratamos desse assunto porque queremos, cada vez mais, estimular a participação das universidades no cotidiano da população” – frisou o senador, lembrando que ainda no ano passado levou ao ministro da Educação proposta para transformar o novo Hospital Municipal e Pronto Socorro de Cuiabá em hospital escola “como forma de contribuir para a formação de novos profissionais da área com resultados positivos para a população”.

De acordo com Wellington disse que a expectativa agora é que a comunidade universitária dos cursos da área de saúde possam se mobilizar, o mais rápido possível, para ingressar suas respectivas atuações, na forma da portaria. “Com certeza será um reforma importante e fundamental neste duro momento em que vive a nossa nação” – acrescentou.

Ao receber a notícia, por telefone, diretamente do ministro da Educação sobre a portaria, Wellington Fagundes pediu que estudantes dos cursos semelhantes das universidades particulares também possam ser admitidos na luta contra o coronavírus. “É um momento importante. Os estudantes querem ajudar e aprender mais na prática – disse o senador. A medida, segundo o ministro, também será avaliada.

Fonte: https://bit.ly/3aJpUBj


Voltar